Município de Aljustrel - Terra Viva

Iniciativas

Vídeo Promocional - Aljustrel, Terra VivaPrograma Aljustrel JovemAgenda 21Ambiente - Eco AljustrelViniculturaCPCJAJulgado de PazConselho SolidárioLinha VerdeUnidade Móvel de SaúdePatrimónio MineiroJornal Aljustrel Terra VivaGEO_FPIIFRRU

Artes plásticas

12 de outubro

Ler Artigo

O “Paraíso” segundo Jorge Pé-Curto em exposição, em Aljustrel

Artes plásticas

Artes plásticas

As Oficinas de Formação e Animação Cultural inauguram, no dia 12 de outubro, às 18 horas, a exposição de escultura e gravura “Paraíso” de Jorge Pé-Curto.

Nascido em 1955, em Moura, Jorge Pé-Curto parte aos nove anos viver com a família para a margem sul. Desde 1965, vive em Almada.

Ainda em Moura começou a despertar para a arte. Aos dez anos frequentou o Centro Artístico Infantil, no Castelo de S. Jorge, de que era mentor o pintor Hermano Baptista. Mais tarde cur­sou escultura na Escola António Arroio. Em 1981, juntamente com outros artistas, fundou em Almada, a IMARGEM, pro­jeto que, entretanto, viria a abandonar. Foi professor do ensino oficial durante 17 anos.

Jorge Pé-Curto desenvolve atividade na cerâmica, pintu­ra, cartaz e gravura, mas foi na escultura, nomeadamente na pedra, que centrou o seu trabalho. Coletivamente, participou, desde 1972, em diversas exposições em galerias, instituições, espaços comerciais e mostras escultóricas ao ar livre. Desde 1984 expõe individualmente. Da sua autoria são di­versos monumentos, situados em várias regiões do país.

A exposição “Paraíso”, que traz a Aljustrel, leva o público a questionar-se sobre o comportamento do “ho­mem enquanto ser natural mas provido de um alto grau de inteligência, que o faz “agir fora de uma lógica enquanto espécie, tornando-se assim um elemento altamente perturbador do meio.” Por não aceitar a sua finitude, “desenvolve inúmeras teorias sobre a vida além da morte, tal como a ideia de paraíso na nossa cultura judaico-cristã”.

Segundo o artista, “já poucos acreditam na sua existência no céu mas muitos acreditam na sua possibilidade na terra e o procuram alcançar através do consumis­mo desenfreado e insaciável pondo em risco os recursos e todo o equilíbrio natural”.

A exposição vai estar patente ao público até ao dia 3 de novembro.

 

Portal do Munícipe

BOLETINS

Rádio Online

Aljustrel Terra Viva